RELAÇÕES ÉTICO-RACIAIS E AFRODESCENDÊNCIA – EXECÍCIO

MÓDULO 3

1-Assinale a alternativa que melhor define o conceito de diáspora, vivida pelos negros após sua transferência forçada ao Brasil, a partir de 1550:

A-Desterrados de seu continente, separados de seus laços de relação pessoal, ignorantes da língua e dos costumes, o deslocamento dos negros foi de tal monta que acabou alterando cores, costumes e a própria estrutura da sociedade local.

B-O fato de que toda a história da África foi sendo apagada dos livros, que passaram a contar a história apenas sob a perspectiva do branco colonizador.

C-A inegável influência que a cultura brasileira, em formação, recebeu como herança africana, não só no campo econômico, através do trabalho escravo e não remunerado, mas nos campos demográfico, cultural, entre outros.

D-A contribuição que tiveram os quilombos como força de resistência negra durante o período de escravidão, surpreendendo também pela capacidade de organização e por apresentar uma proposta social e política alternativa ao modelo colonial.

E-O envio de milhares de imigrantes brancos ao Brasil a partir principalmente do início do século XX, para substituir a mão-de-obra negra após a abolição da escravatura.

2-(Concurso Público, adap. CESPE – 2004)

Com a queda da monarquia, em 1889, ainda que preservada a dominação oligárquica, o novo regime acaba beneficiando-se dos efeitos modernizadores, decorrentes da abolição da escravatura (1888), sobre o desenvolvimento da economia cafeeira que se dinamiza com a introdução do trabalho livre e de imigrantes europeus. Com a Primeira República, extingue-se o sistema censitário, mas os analfabetos são excluídos totalmente do direito de voto.

As primeiras pressões democratizantes buscando alterar a ordem liberal excludente se desencadeiam apenas na década de 20, quando se inicia a crise da República Velha, que, com a Revolução de 1930, submerge no centro de suas próprias contradições

Hélgio Trindade . Brasil em perspectiva: conservadorismo liberal e democracia bloqueada. In: Carlos Guilherme Mota (Org.).

Viagem incompleta: a experiência brasileira (1500-2000) – a grande transação. São Paulo: SENAC, 2000, p. 357-64 (com adaptações).

A partir do texto acima, julgue os itens que se seguem, relativos à evolução histórica do Brasil republicano, e assinale a alternativa incorreta:

A- Nos estertores do regime monárquico, a abolição do trabalho escravo pela Lei Áurea, ainda que tenha desagradado a uma significativa parcela da classe proprietária, não foi capaz de promover a inclusão social dos negros recém-libertados, reforçando um quadro de subalternidade dos afrodescendentes ainda visível em pleno início do século XXI.

B-Após a abolição da escravidão (1888), porque não se preparou nenhuma condição para que os negros recém-libertos estivessem em igualdade de direitos e oportunidades no então mercado de trabalho, milhares de imigrantes brancos foram trazidos a partir principalmente do início do século XX para que ocupassem esses postos de trabalho.

C-O ideal de branqueamento produziu as chamadas ideologias raciais do negro e mulato e do branco, colocando de forma evidente negros e brancos em lugares sociais desiguais e hierarquizados.

D- Os quilombos foram muito importantes como elemento de pressão social para a abolição da escravidão no Brasil, uma vez que milhares de escravos negros se refugiavam nesses locais, bem afastados e de difícil acesso aos senhores brancos, abrindo espaço para o imigrante branco no mercado de trabalho.

E- Uma das consequências do projeto nacional de branqueamento foi a marginalização social das populações negras, uma vez que, sem possibilidade de trabalho remunerado, acabaram se instalando nas periferias das cidades, nas regiões mais pobres do Brasil.

A- Todas as proposições estão corretas

B-Apenas as proposições II, III e IV estão corretas

C- Apenas as proposições I, III e IV estão corretas

D-Apenas as proposições III e IV estão corretas

E-Apenas as proposições I, II e III estão corretas

4-(Concurso Público, adap. CESPE – 2006) Leia o texto abaixo.

Com o início do Segundo Reinado, são plenamente restabelecidas a prerrogativa monárquica e a centralização administrativa. A Monarquia constitucional parlamentarista de quatro poderes se viu reforçada. Existiam dois grandes partidos monárquicos. O Partido Conservador consistia na aliança entre a burocracia, o grande comércio e a grande lavoura de exportação. O Liberal era formado por profissionais liberais urbanos e por agricultores ligados ao mercado interno e às áreas mais recentes de colonização. Pelo sistema eleitoral que vigoraria até 1889, estavam excluídos do direito de voto os escravos, os menores de 25 anos (com exceções), os criados de servir, os religiosos que vivessem em comunidade claustral e todo aquele que não percebesse determinada renda líquida anual. Só podiam ser eleitos parlamentares os cidadãos brasileiros com renda elevada que professassem a religião do Estado. A reforma eleitoral de 1881 ampliou a renda exigida para a condição de eleitor e proibiu o analfabeto de votar.

Em meio a esse sistema político é que seria processada a abolição da escravidão e decretada a Lei de Terras (1850). A apreensão do processo de abolição da escravidão envolve diversos níveis de análise, um dos quais diz respeito às dimensões macro-históricas e mundiais do processo. É nesse contexto que se entendem as pressões inglesas para a suspensão do tráfico atlântico para o Brasil.

João Luís Fragoso e Francisco Carlos Teixeira da Silva. A política no Império e no início da República Velha: dos barões aos coronéis. In: Maria Yedda Linhares (org.) História Geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 199-204 (com adaptações).

Considerando o tema abordado no texto, a presença da escravidão na formação histórica do Brasil e o processo abolicionista, que se estende por boa parte do século XIX, além de seus desdobramentos na configuração da sociedade brasileira contemporânea, assinale a opção correta.

A- Ao mencionar as dimensões macro-históricas do processo abolicionista, o texto certamente se refere ao aparecimento do capitalismo como sistema dominante mundial. Não obstante, à Inglaterra interessava a manutenção de relações sociais de produção pré-capitalistas em determinadas regiões, como as vigentes na Europa naquele momento, com o propósito de exportar seu excedente de mão-de-obra.

B-Poucas pressões inglesas contra o tráfico de escravos foram sentidas no Brasil logo após a independência, tornando a Inglaterra um país de inexpressiva influência naquele momento histórico.

C- Com o olhar de hoje mirando o passado, pode-se afirmar que as leis abolicionistas, em especial a que extinguiu por completo a escravidão, conhecida como Lei Áurea, falharam em um ponto crucial: o de estabelecer mecanismos que, superando a subalternidade própria da condição de cativo, promovessem a plena inserção dos africanos e seus descendentes na sociedade brasileira.

D- As pressões internacionais para o fim da escravidão no Brasil, que começaram a surgir após a independência, não foram suficientes para forçar a assinatura de uma Lei que considerasse livre todos os negros até então escravizados em nosso território.

E-Transparece no texto que o consenso no Brasil colonial em torno da existência da escravidão foi gradativamente desaparecendo à medida que se aproximava a independência, o que explica a relativa rapidez do processo abolicionista no período colonial.



Categorias:MATERIAL DE ESTUDO

PERGUNTAR

%d blogueiros gostam disto: